Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
SOCRATES TEM DE MORRER-1. A MORTE DE SÓCRATES

SOCRATES TEM DE MORRER-1. A MORTE DE SÓCRATES

Teatro & Arte | Teatro

São Luiz Teatro Municipal

Luis Miguel Cintra
Classificação Etária
A classificar pela CCE
Bilhete Pago
A partir dos 3 anos
2018
dez
06
a
2018
dez
09
Realizado

Duração

90 minutos

Promotor

EGEAC, Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural

Sinopse

Os dois episódios decorrem nos mesmos dias, mas podem ser vistos individualmente em dias diferentes, consoante a compra do bilhete duplo ou individual.

Mickaël de Oliveira apresenta, em simultâneo no São Luiz, os dois episódios deste espetáculo: A Morte de Sócrates e A Vida de John Smith. Um díptico, protagonizado por Albano Jerónimo, que continua o trabalho do encenador sobre teatro e política. Dos últimos três dias de Sócrates na prisão, à espera da execução capital, a um novo planeta no futuro habitado por uma elite de almas reencarnadas.

A Morte de Sócrates 1º Episódio

Partindo da obra Fédon de Platão, A Morte de Sócrates junta a figura reinventada de Sócrates (Albano Jerónimo), e dos seus fieis amigos, Paulo (Paulo Pinto), Pedro (Pedro Lacerda), Raquel (Maria Leite) e Ana (Ana Bustorff). A Morte de Sócrates narra os últimos três dias de Sócrates na prisão, na qual permaneceu durante um mês, período em que as festas da cidade proibiam qualquer execução capital. Os amigos de Sócrates tentam convencê-lo a permanecer vivo, apresentando-lhe hipóteses de fuga. No entanto, este mantém-se convicto de que a morte é preferível à vida, sendo o corpo um impedimento ao conhecimento puro. Contudo, depois de alguma retórica, Paulo, Pedro, Raquel e Ana confessam que estão eles próprios convencidos de que morrer é a melhor solução, apresentando a Sócrates a utopia de um mundo livre e o plano para o atingir: a constituição de um grupo terrorista e de uma Academia que o perpetue através dos tempos.

Texto e Encenação: Mickaël de Oliveira; Interpretação: Albano Jerónimo, Ana Bustorff, Maria Leite, Paulo Pinto, Pedro Lacerda; Assistência de encenação: Solange Freitas; Desenho de luz: Rui Monteiro; Cenografia, Figurino e Vídeo: António MV; Apoio à criação de vídeo: Maria Leite; Música e interpretação: Diogo Ribeiro; Fotografia: Bruno Simão; Direção de produção: Armando Valente
Coprodução: Teatro Académico de Gil Vicente e Colectivo 84

Partilhar

Serviços Adicionais

Veja ainda:

O CROCODILO OU EXTRAORDINÁRIO ACONTECIMENTO IRRELEVANTE

Teatro & Arte | Teatro

São Luiz Teatro Municipal

Sala Mário Viegas

LIMBO

Teatro & Arte | Teatro

São Luiz Teatro Municipal

Outros locais