Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
Rita Braga: Apresentação de Time Warp Blues

Rita Braga: Apresentação de Time Warp Blues

Música & Festivais | Música

Auditório CCOP

Plateia de pé
Classificação Etária
A classificar pela CCE
Bilhete Pago
A partir dos 12 anos
2021
jan
22
Realizado

Duração

50 minutos

Abertura Portas

19:00

Intervalo

Sem Intervalo.

Promotor

João Artur Domingues dos Santos Reis Maya

Sinopse

Para entrar no universo de Rita Braga, imaginem-se num local que se assemelha a um circo americano do século passado onde, depois de se dirigirem ao interior de uma tenda, se deparam com uma casa de espelhos. Cada um desses reflexos exibe uma faceta de Time Warp Blues, o terceiro disco da cantora e multi-instrumentista Rita Braga: a naïve art de Space Lady; os bizarros sons de Bruce Haack; o minimalismo de Young Marble Giants; a cinematografia de Eraserhead e toda uma espiral de fantasmas e viagens no tempo. O que têm todos estes reflexos em comum? O peculiar uso do ukulele por Rita Braga, acompanhada de teclados e caixas de ritmos vintage e banjolele.
Time Warp Blues, co-produzido por Andrea Rocca em Londres é o primeira longa duração em vinil de Rita Braga, que escreve e interpreta canções em inglês, português, finlandês e japonês.
Nada destas diferentes latitudes lhe é desconhecido, pois ao longo da última década realizou numerosos concertos por toda a Europa e também nos EUA, Brasil, Austrália e Japão.
O disco anterior Bird on the Moon (Lunadélia Records, 2018/ Moorworks, Japão 2019) deu entrada no Top 15 de discos com ukulele na revista Wire.
Rita Braga é compositora e cantora e é personagem que se encena, com humor pop, humor do absurdo e um toque de surrealismo, em cada uma das canções que compõe. Na sua música, é vaudeville moderno, artista new-wave desalinhada, pioneira da electrónica, tapeçaria folk sem origem definida, uma cultura pop de melodia trauteável e vasta geografia na ponta da língua. (Mário Lopes - Ípsilon)

https://ritabraga.bandcamp.com/
https://superbraguita.com/

Pontos de Referência

Auditorio CCOP

-
Partilhar

Serviços Adicionais

Veja ainda:

Luca Argel – Conversa de Fila

Música & Festivais | Música

Auditório CCOP

Plateia Mista

THE LAST INTERNATIONALE | Hard Club

Música & Festivais | Música

Hard Club

Geral