Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
Rusalka

Rusalka

Música & Festivais | Ópera

Teatro Nacional S. Carlos

Sala Principal
Classificação Etária
Maiores de 6 anos
Bilhete Pago
Todas as Idades
2021
abr
30
a
2021
mai
04
Realizado

Duração

170 minutos

Promotor

OPART - Organismo de Produção Artística, EPE

Breve Introdução

TEATRO NACIONAL DE SÃO CARLOS
Sala Principal
30 de abril e 4 de maio de 2021, 19h
2 de maio de 2021, 10h

Ópera em Versão de Concerto

Rusalka op.114, Antonín Dvorák
Libreto: Jaroslav Kvapil

Rusalka: Dora Rodrigues
Príncipe: Peter Wedd
Vodnik: Thomas Mayer
Jezibaba: Maria Luisa de Freitas
Princesa Estrangeira: Susana Vieira
Moço de cozinha: Cecília Rodrigues
Guarda Florestal: Luís Rodrigues
Primeira Ninfa: Susana Gaspar
Segunda Ninfa: Bárbara Barradas
Terceira Ninfa: Patrícia Quinta
Caçador: Diogo Oliveira

Direção Musical: Graeme Jenkins

Coro do Teatro Nacional de São Carlos
(Giampaolo Vessella: Maestro Titular)

Orquestra Sinfónica Portuguesa
(Joana Carneiro: Maestrina Titular)

Rusalka é um conto de fadas lírico, cujo libreto é baseado em contos populares. O termo
rusalka refere-se a um espírito feminino das águas na mitologia eslava. A trama contém,
assim, elementos semelhantes a outras histórias de seres aquáticos que trazem a desgraça
para si e para aqueles que amam: A Pequena Sereia de Hans Christian Andersen ou Undine
de Friedrich de la Motte Fouqué. A grande curiosidade da história é ter uma protagonista que a
dada altura emudece.
Rusalka foi estreada em Praga a 31 de março de 1901 e tornou-se um tremendo sucesso nas
regiões da Boémia. Porém, apesar da enorme beleza das suas melodias, teve dificuldade em
impor-se no resto do mundo e durante muitos anos não fez parte do repertório habitual. Só
chegou a São Carlos na temporada de 1966/67. Recentemente, a obra tem sido alvo de grande
interesse e hoje é mais representada do que todas as outras óperas de Dvorák em conjunto.
A partitura de Rusalka contém uma ária que sempre foi popularíssima a Canção da Lua,
no I Ato, frequentemente incluída nos programas de concertos e de gravações de grandes
sopranos. Alguns consideram também o dueto final entre o Príncipe e Rusalka um dos mais
gloriosos momentos da história da ópera.
São Carlos assistirá à estreia de Dora Rodrigues no papel titular.

Informações Adicionais

Ao adquirir os seus bilhetes, agradecemos que tenha em conta as regras de circulação associadas ao seu concelho da área de residência.

O Teatro Nacional de São Carlos cumpre as recomendações e as regras de segurança emanadas pela Direção-Geral de Saúde e encontra-se certificado pela Inspeção-Geral das Atividades Culturais com o selo "Clean and Safe".

Uso obrigatório de máscara.

As datas e horários dos espetáculos poderão ser alterados, em resultado de medidas de combate à COVID-19 que o Governo ou as autoridades de saúde possam vir a decretar.

As atualizações serão comunicadas nos nossos canais digitais:
www.saocarlos.pt
https://www.facebook.com/SaoCarlos
https://www.instagram.com/saocarlos1793/

-
Partilhar

Serviços Adicionais

Veja ainda:

Ernani

Música & Festivais | Ópera

Teatro Nacional S. Carlos

Sala Principal